Ayahuasca Treatment Outcome Project
ATOP Peru

O que é ATOP?

O projeto ATOP (Ayahuasca Treatment Outcome Project) tem como objetivo validar a eficácia da Ayahuasca e da medicina tradicional amazónica no tratamento das dependências na América Latina.

A avaliação científica da eficácia do tratamento assistido por Ayahuasca é necessária para que este seja reconhecido como uma abordagem terapêutica legítima para tratar as dependências e outros problemas de saúde mental. O Projeto ATOP foi desenvolvido por uma equipa de investigação multidisciplinar e internacional justamente para responder a esta necessidade.

É importante considerar o tratamento com Ayahuasca não como uma intervenção farmacológica mas sim como uma intervenção psicoterapêutica ritualizada e bem estruturada, baseada nos ensinamentos da medicina tradicional. Com este fim, seguimos uma abordagem científica que cumpre com a avaliação rigorosa da eficácia terapêutica exigida pela medicina moderna e respeita a integridade da Ayahuasca como ferramenta terapêutica que tem raízes na medicina ancestral.

O projeto ATOP não tem como objetivo apenas estudar a eficácia e o alcance do uso da medicina tradicional amazónica no tratamento das dependências, como também compreender os processos terapêuticos envolvidos na cura. Procura criar uma ponte entre a medicina tradicional amazónica e a ciência médica moderna que contribua para ampliar a nossa compreensão da saúde mental.

Quem participa?

Este projeto multidisciplinar e multilocalizado inclui contribuições do Canadá, Peru, Brasil e México. Trata-se de uma rede de psiquiatras clínicos e neurocientistas, médicos, psicólogos, antropólogos, epidemiólogos e curandeiros.

A equipa é dirigida pelo Dr. Brian Rush, professor do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Toronto, Canadá, e cientista emérito do Centro de Dependências e Saúde Mental de Toronto. Outros membros da equipa incluem Anja Loizaga-Velder, diretora de psicoterapia e investigação, Nierika A. C., no México.

No Centro Takiwasi, os líderes do projeto são o Dr. Jacques Mabit, médico, fundador e presidente do Centro Takiwasi e o Dr. Fernando Mendive, PhD em bioquímica e gerente do Laboratório Takiwasi.

O que alcançámos

O Projeto ATOP e o seu modelo apoiam-se em duas fontes de conhecimento principais:

  • A experiência clínica de várias instituições e terapeutas que se interessaram pelo uso da Medicina Tradicional Amazónica e outras medicinas ancestrais para tratar dependências.
  • Estudos científicos realizados durante os últimos 20 anos, principalmente sobre o uso religioso da Ayahuasca, nos quais são reportados efeitos benéficos em pessoas com dependência a substâncias e outros problemas de saúde mental (Grob, 1996; McKenna, 1998; Halpern, 2008; Bouso, 2012).

O primeiro encontro realizado em Tarapoto em Outubro de 2013 foi o ponto de partida deste projeto. Para isso reuniram-se investigadores de diferentes países da América Latina, Canadá e inclusivamente Austrália. Foi um grande êxito em termos de desenvolvimento dos princípios e métodos básicos que depois foram aplicados nos diversos subprojectos implementados nos diferentes países.

Desde então, temos avançado bastante. Com respeito às atividades centrais, foi finalizada a elaboração de todos os instrumentos de recolha de dados e respetivas traduções. Um dos desafios do ATOP foi criar um pacote de ferramentas validadas nos três idiomas de estudo: inglês, espanhol e português. As atividades principais que apoiam os projetos incluem também: assistência para o desenvolvimento de propostas, aconselhamento sobre metodologias, permanecer informados sobre a literatura mais recente e as atividades da comunidade de investigadores sobre Ayahuasca, comunicações, etc. Estamos a avançar com estes projetos individuais, mas com o objetivo de integrar os dados para contar uma história mais ampla sobre o valor terapêutico da Ayahuasca para o tratamento das dependências.

O Centro Takiwasi

O Centro Takiwasi durante os últimos 25 anos tem-se dedicado ao tratamento de dependências mediante o uso da medicina amazónica, que entre os seus instrumentos inclui Ayahuasca, dietas e plantas purgativas, complementada pela psicoterapia e medicina ocidental. Takiwasi é uma comunidade terapêutica na qual os pacientes permanecem internados durante 9 meses. Também é realizado um seguimento pós-tratamento de 1 a 3 anos. A eficácia do tratamento ronda os 65% de pacientes reabilitados com êxito, e cada ano recebemos maior procura por parte de pessoas de todo o mundo que procuram uma abordagem alternativa e eficaz para solucionar este problema de saúde que afeta a sociedade moderna.

Muitas das pessoas que chegam ao Centro Takiwasi experimentaram sem êxito vários tratamentos convencionais com fármacos, antes de decidirem empreender o caminho das plantas. As plantas medicinais e especificamente a Ayahuasca permitem aceder à dimensão transcendente dos seres humanos e conectá-los com o sentido mais profundo das suas vidas, eixo central que os tratamentos convencionais geralmente não abordam. Através do protocolo inovador de Takiwasi é possível chegar à raiz do problema, podendo ser aplicado com êxito a pessoas de diferentes contextos culturais, religiosos e sociais.

O objetivo agora é validar cientificamente a eficácia desta prática terapêutica como uma forma de facilitar uma compreensão mais alargada das dependências e ajudar um número maior de pessoas a recuperar desta condição alienante.

Situação atual do projeto ATOP em Takiwasi

No Centro Takiwasi, um progresso considerável foi feito com o projeto ATOP. Finalizamos os instrumentos de recolha de dados e os guias de entrevista, e completamos as provas piloto dos instrumentos qualitativos e de seguimento. Adicionalmente, passamos com êxito um processo de revisão por parte de um comité de ética, o que é essencial para a publicação, e completamos o estudo etnográfico planificado: dezassete membros do pessoal, incluindo terapeutas, curandeiros e investigadores, foram entrevistados para obter uma descrição completa do protocolo terapêutico e modelo de Takiwasi desde um ponto de vista multidisciplinar. A partir de Janeiro de 2016, iniciamos o recrutamento formal de pacientes para o projeto de investigação. Também, começamos a colaborar com vários investigadores que atualmente estão a desenvolver subprojectos para os seus trabalhos de mestrado ou doutoramento.

A psicóloga Sara García é assistente de investigação no Centro Takiwasi e responsável da recolha de dados do projeto ATOP Peru, através de questionários que recolhem os dados quantitativos e entrevistas em profundidade que recolhem os dados qualitativos da experiência dos pacientes durante o tratamento para dependências com o uso da Ayahuasca. Estas avaliações ocorrem no início, a meio e no final do tratamento, e na fase de seguimento pós-tratamento cada 3 meses durante 1 ano.

Para o projeto ATOP Takiwasi foi criada uma plataforma de compilação de informação onde, entre outras coisas, se localizam 6 testes de avaliação que são administrados aos pacientes que finalizaram o tratamento e que vivem em diferentes partes do mundo.

O que necessitamos atualmente?

Atualmente necessitamos completar a recolha de dados e avançar com o trabalho até alcançarmos o objetivo final que é gerar uma forte evidência científica da eficácia do tratamento assistido por Ayahuasca. Para isso, é necessário pagar os salários de especialistas qualificados. O nosso objetivo é arrecadar $ 25,000 dólares para cobrir todos os gastos relacionados com este projeto para os anos 2020 e 2021, ano em que o projeto deveria estar concluído. Este período incluirá as etapas de recolha de dados finais (durante o tratamento e o seguimento), análise dos dados e publicação. Os donativos serão utilizados para pagar o salário de investigadores, engenheiros de sistemas e tradutores para além das equipas de informáticos, entre outros custos.

Este tipo de investigação é difícil de financiar através das fontes tradicionais, contudo, tem o potencial de melhorar muitas vidas que agora se encontram afetadas por problemas de saúde mental, incluindo de dependências, e de ampliar o conhecimento e a consciência geral sobre a eficácia da medicina à base de plantas.

Cremos que existem milhares de pessoas interessadas em propostas alternativas para o tratamento de problemáticas de saúde mental e dependências, assim como também há muitos investigadores interessados em estudar as potencialidades das plantas psicoativas. Contamos com a sua ajuda para poder avançar com esta investigação tão promissora para o desenvolvimento de propostas terapêuticas mais eficazes.

Para mais informações sobre o projeto ATOP, pode escrever para: investigacion@takiwasi.com

Apresentação em vídeo do projeto ATOP Peru

Campanha de financiamento

Ayahuasca Treatment Outcome Project

Existem milhares de pessoas interessadas em propostas alternativas para o tratamento de problemas de saúde mental e dependências, assim como também há muitos investigadores interessados em estudar as potencialidades das plantas psicoativas. Contamos com a sua ajuda para poder avançar com esta investigação tão promissora para o desenvolvimento de propostas terapêuticas mais eficazes.

A sua contribuição ajudará no êxito deste ambicioso projeto e na recuperação de muitas pessoas. Formará assim parte de uma rede cada dia maior de pessoas que em todo o mundo se interessam pela investigação, pela medicina tradicional e pela inovação. Se não pode doar, ajudar na difusão desta mensagem é uma grande contribuição.

Ajude-nos a financiar este inovador projeto de investigação sobre o tratamento assistido por Ayahuasca para a saúde mental e dependências! Cada doação conta e o seu interesse também!


Muitas pessoas que vêm para Takiwasi tentaram vários tratamentos convencionais sem sucesso antes de decidirem experimentar as plantas.

A experiência pessoal de um paciente na fase final de tratamento para vícios assistidos pela Ayahuasca que ocorre no Centro Takiwasi.

Neste testemunho, um paciente acredita que os tratamentos convencionais são ineficazes na abordagem dos problemas que estão na raiz da dependência.

Cécile Giovannetti é uma das muitas pesquisadoras interessadas no trabalho do Centro Takiwasi e do projeto ATOP.

O tratamento para vícios proposto pelo Centro Takiwasi é adaptado para pessoas de diferentes contextos e culturas.

Este é o primeiro projeto de pesquisa multidisciplinar e multi-situado sobre o tratamento assistido pela ayahuasca para a saúde mental e dependência.

Formulário de contato

×